... Cadernos :: edição: 2005 - N° 25 > Editorial
 
Editorial

É com satisfação que apresentamos o número 25 da Revista Educação Especial, do departamento de Educação Especial do Centro de Educação da UFSM/RS. Tal número conta com o apoio da CAPES, através do PROPESP/CAPES/MEC-2004-2008, entidade do Governo Brasileiro voltada para a Formação de Recursos Humanos.

A publicação traz dez artigos de pesquisas desenvolvidas em âmbito nacional e internacional, que se centram, especialmente, na discussão sobre a otimização da inclusão social na área da Educação Especial.

A revista é aberta pelo artigo “O pioneirismo da escola flämming na proposta de integração (inclusão) escolar na Alemanha”, de Hugo O. Beyer, que relata a experiência de inclusão de uma escola alemã, resgatando dela alguns princípios pedagógicos que podem nortear o processo de integração.

Nessa mesma perspectiva, em “Uso de tecnologias de informação e comunicação para pessoas com necessidades educacionais especiais como contribuição para inclusão social, educacional e digital”, as autoras Daniela Souza, Danielle Santos e Elisa Schlünzen apresentam a prática do laboratório didático de pesquisa da UNESP/SP, que propõe a Inclusão Digital e Social de pessoas com necessidades educativas especiais. Tal experiência tem o computador como mediador na formação do aluno, valorizando as habilidades e competências do mesmo. Também sobre o papel das tecnologias de informação e comunicação, a revista apresenta o artigo “A formação continuada de educadores e as TIC na profissionalização de pessoas com deficiência visual”, de Renata Benisterro e Klaus Junior, em que se discute a formação continuada de professores com deficiência visual.

A trajetória da universidade brasileira em sua relação com a educação especial é assunto do artigo “In(ex)clusão na universidade”, de Laura Moreira. Tal estudo averigua em que medida a universidade tem colaborado para uma educação mais inclusiva e apresenta propostas e dispositivos legais que garantem o acesso do aluno com necessidades educativas especiais ao ensino superior.

Viviane Duek e Valeska Oliveira, no artigo “Inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais no ensino regular”, põem em diálogo a experiência pessoal e profissional de uma professora de Educação Infantil que trabalha com alunos com necessidades educacionais especiais, favorecendo a ressignificação docente. Ainda em relação à formação do educador na educação especial, Andréia Rech e Soraia Napoleão Freitas discutem o papel do professor junto ao aluno com altas habilidades, ressaltando que esse também necessita de um atendimento especializado. Tal artigo intitula-se “O papel do professor junto ao aluno com Altas Habilidades”.

No que se refere a tal aluno, Susana Pérez e Claus Stobäus, no artigo “Alberto: um professor do ensino regular e seu ‘algo mais’ para atender alunos com altas habilidades/superdotação”, relatam a experiência de um professor do ensino regular com alunos com altas habilidades. Os autores defendem uma formação diferenciada para o educador que tem essa função, a fim de realmente favorecer a inclusão escolar.

Reinoldo Marquezan, por sua vez, em “O outro na relação”, traz um estudo teórico, baseado nas contribuições de Meirieu e Maturana, sobre a relação legítima com o outro no ato pedagógico. Já o texto de Sérgio Carvalho dialoga teoria e história de vida, para refletir sobre a temática proposta no título “Família, atendimento especializado e inserção social”.

A revista fecha com o artigo de Roberta Puccetti “Articulando: arte, ensino e produção para uma educação especial”. Por meio de uma abordagem mais teórica, a autora trata do papel da arte, refletindo sobre seus fundamentos históricos, filosóficos e metodológicos, na educação especial.

Portanto, notamos que as abordagens desenvolvidas nos artigos aqui publicados dialogam entre si, atendendo teoria e prática e oferecendo um interessante panorama sobre as pesquisas que estão sendo desenvolvidas na área da Educação Especial. Aproveitamos então para agradecer aos autores deste número, que aceitaram dividir com os nossos leitores suas produções científicas e sugestões de trabalho, e desejamos a todos uma proveitosa leitura.

Soraia Napoleão Freitas
Presidente da Comissão Editorial

 

.