... Edição: 2004 - Vol. 29 - N° 02 > Editorial > Índice > Resumo
 
Autonomia e conhecimento – algumas aproximações possíveis entre Antônio Gramsci e Paulo Freire a partir da análise de práticas pedagógicas emancipatórias

Cleoni Maria Barboza Fernandes
Solon EduardoViola
.

Este texto nasce como uma síntese da reunião de dois pensadores do século XX, Antônio Gramsci e Paulo Freire, dois homens de tempos e lugares distintos, mas relacionados por sentimentos e construções teóricas, que em muitos pontos se afastam e em muitos se aproximam, mas mediam as relações humanas na direção de outra sociedade, justa e solidária. A escolha intencional e arbitrária dos pontos de aproximação entre esses autores foi resultante da discussão das práticas pedagógicas e da formação de professores com um grupo de alunos do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. A origem dessa possibilidade está situada em uma disciplina, em que foi discutido o livro: “Medo e ousadia: o cotidiano do professor”, no qual Paulo Freire dialoga com Ira Shor, sendo constatado a presença muito forte de Antonio Gramsci. A busca com a rigorosidade metódica que caracteriza a curiosidade epistemológica do sujeito, da leitura desse autor anunciado pelo próprio Freire como de grande influência nos seus estudos sobre cultura, tornou-se um grande desafio. A proposta de uma leitura dirigida foi realizada em parceria com uma professora do PPGEDU e um professor da Pedagogia. A tematização da obra de Gramsci, baseada especialmente nos três volumes de Cadernos do Cárcere, com os questionamentos trazidos pelos alunos, contribuiu para a síntese aqui apresentada.

Palavras-chave: Autonomia. Conhecimento. Práticas Pedagógicas.

 
Ler artigo
View abstract

.